sexta-feira, 29 de maio de 2015

"Posso te levar pra casa com segurança depois de uma noite de bebedeira, posso matar os insetos minúsculos dos quais você morre de medo, posso te proteger do frio, cuidar de você quando pegar gripe, me certificar de que você tá comendo direitinho… Mas não posso te salvar de você mesma."

quinta-feira, 28 de maio de 2015

"Se quiser ir, que vá. Só não me venha com essa conversa fiada me dizendo que qualquer dia a gente se encontra em uma dessas curvas da vida, até porque, eu jamais irei te visitar na esquina do arrependimento. E se eu for, estarei muito bem acompanhado."

quarta-feira, 27 de maio de 2015

- Estou dizendo tudo isso por um motivo - prossegue ela. - Tem mais ou menos umas vinte pessoas lá na sala de espera. Algumas são da sua família, outras não. Mas todos nós somos a sua família agora.
Kim interrompe a fala. Inclina-se para se aproximar de mim e as mechas do seu cabelo fazem cócegas no meu rosto. Ela me dá um beijo na testa.
- Você ainda tem uma família - sussurra.

Se eu ficar,  página 182.

terça-feira, 26 de maio de 2015

"Eu sou sim a pessoa que some, que surta, que vai embora, que aparece do nada, que fica porque quer, que odeia a falta de oxigênio das obrigações, que encurta uma conversa besta, que estende um bom drama, que diz o que ninguém espera e salva uma noite, que estraga uma semana só pelo prazer de ser má e tirar as correntes da cobrança do meu peito. Que acha todo mundo meio feio, meio bobo, meio burro, meio perdido, meio sem alma, meio de plástico, meia bomba. E espera impaciente ser salva por uma metade meio interessante que me tire finalmente essa sensação de perna manca quando ando sozinha por aí, maldizendo a tudo e a todos. Eu só queria ser legal, ser boa, ser leve. Mas dá realmente pra ser assim?"

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Não importa o número de festas em que você vá, uma hora você vai cansar de segurar copos e vai querer segurar a mão de alguém.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Tudo que tenho a dizer.
E se maio tá assim, imagina no inverno.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

"Não mereço uma pessoa que não sabe o que quer. Mereço certezas. Mereço que seja recíproco. Não quero alguém que me bajule o tempo todo. Não precisa abrir porta de carro, oferecer diamantes, pagar o jantar. Só precisa ser sincero. E real. E, principalmente, se entregar por inteiro. Porque não estou aqui para receber metade de nada."

domingo, 17 de maio de 2015

"Daí, penso também outra coisa de gente grande: não adianta muito você se enfeitar todo pra uma pessoa gostar mais de você. Porque, se ela gostar, vai gostar de qualquer jeito, do jeito que você é mesmo, sem brilhos falsos."

quinta-feira, 14 de maio de 2015

“Um belo dia você acorda e se dá conta que está cansado. Você se cansa da cidade, dos carros, das luzes. Você se cansa do lixo, das pessoas, do barulho. Se cansa de não saber para onde ir, se cansa de não ter para onde ir e precisar ir para algum lugar. Você se cansa de não ter razão, de não ter caminhos, de não ter opções, se cansa de ver sua vida igual a de todos os outros, se cansa de ser de um rebanho sem pastor. Você se cansa de chefes, deuses, impostos, moda, dinheiro. Você se cansa da sensação de estar desperdiçando seu tempo, você se cansa de não ter tempo algum para desperdiçar. Você se cansa de viver em um mundo onde quem não está desesperado, está louco. Você se desespera com medo de enlouquecer. Respira fundo, acende um cigarro. Você se cansa de não saber exatamente do que está cansado. Se cansa do “alguma coisa está errada” que paira sobre o ar desde uma época que você não se lembra. Se cansa das avenidas, das ruas, das alamedas, das praças, do sol, dos postes, das placas de sinalização, das buzinas. Você se cansa de amores incompletos, de amores platônicos, de falta de amor, de excesso disso e daquilo. Se cansa do “apesar de”. Se cansa do rabo entre as pernas, da sensação de estar sendo prejudicado, se cansa do “a vida é assim mesmo”. Você se cansa de esperar, de rezar, de aguardar, de ter esperanças, cansa do frio na barriga, cansa da falta de sono. Você se cansa da hipocrisia, da falsidade, da ameaça constante, se cansa da estupidez, da apatia, da angústia, da insatisfação, da injustiça, do frenesi, da busca impossível e infinita de algo que não sabe o que é. Se cansa da sensação de não poder parar. E você não para, até que esteja morto.”
PC Siqueira.

terça-feira, 12 de maio de 2015

"Não sei se alguém já te disse, mas você é linda. E você vale muito a pena. Apenas continue acreditando."
Moriah Peters

sexta-feira, 8 de maio de 2015

I swore, I swore I would be true. And honey, so did you.
So why were you holding her hand?
Is that the way we stand?
Were you lying all the time?
Was it just a game to you?
Linger - The Cranberries

quinta-feira, 7 de maio de 2015

"Você não merece ser a única pessoa em todo o planeta que sabe como me fazer sentir alguém admirável e especial no meio dessa aglomeração selvagem de gente histérica e egoísta por todo lado. Você não merece modificar toda a minha estrutura de vida apenas sendo isso que você é. Você não merece."

quarta-feira, 6 de maio de 2015

26/01/2008

"... Você foi a guria mais foda que eu conheci, sério. Você não tem nada a ver com o resto. Nem sei escrever isso, só sei que você é incrível."


Achei isso hoje.
E o que a gente faz quando a saudade aperta no peito e não tem nada que possamos fazer?

terça-feira, 5 de maio de 2015

"Vamos fingir que tudo está bem. Que as piadas do palhaço ainda são engraçadas e que o coração não dói. Que o ambiente reservado para fumantes não sufoca e que esperar na fila do banco não cansa. Vamos fazer parecer que nenhuma música é uma lembrança e que o cheiro não grudou na ponta do nariz. Vamos fingir que eu não o vejo em todo canto. Vamos fazer de conta que esse espaço todo não aperta e que o que sinto não é necessidade. Vamos fechar os olhos e imaginar que esse ainda não foi o início do fim."

segunda-feira, 4 de maio de 2015

"Romantismo, vai ver se estou ali na esquina. Se eu estiver, senta pra beber comigo que precisamos conversar sobre o porque de você não ir muito com a minha cara."
"Sofri um acidente de amor, mas tô legal, só quebrei a cara."

domingo, 3 de maio de 2015

"(…) O problema é eu sentir, cara. Há um tempo atrás esse problema não existia. Eu era uma pessoa livre, que não se preocupava com nada. E então você chega e mexe com tudo. Só queria entender o porquê disso. Por que você me fez sentir tudo isso e depois foi embora?"

sexta-feira, 1 de maio de 2015

"Já tive outros e já amei outros. Já sofri por eles e já quase te esqueci graças à eles também. Mas depois que acaba, no fim, ou no intervalo de um para o outro, quando só me sobra eu mesma e minha confusão, meus sentimentos me encaram e me confrontam, e eu só vejo você. Só tem você ao meu redor no sábado de noite terminando com alguém. Tem você quando eu me fecho e não deixo ninguém entrar na minha vida, porque morro de medo e é sua culpa. Você na forma como eu escrevo, na música do Leoni, no texto da coca-cola. Cada parte do que eu sou… ainda é você. Mil anos e alguns caras depois e ainda é você."
Iolanda Valentim